Teatro

04.12

15h às 17h

Os Um e Os Outros

(Cia. Livre de Teatro)

Teatro

04.12

15h às 17h

Os Um e Os Outros

(Cia. Livre de Teatro)

Cia Livre

Os Um e os Outros, um musical livremente adaptado de “Os Horácios e Os Curiácios”, de Bertolt Brecht, em forma de opereta, faz uma justaposição das batalhas narradas pelo autor com a luta dos povos ameríndios no Brasil de hoje.

Cia Livre
A Cia. Livre trabalha desde 1999 desenvolvendo uma práxis teatral cujo cerne reside na criação de processos de pesquisa e criação abertos ao público, gerando a participação ativa dos espectadores nos espetáculos, como  em Toda Nudez Será Castigada, (2000/02), Um Bonde Chamado Desejo (2003), Arena Conta Danton (2004/06) e Rainha[S] (2008/16).  Desde 2006 trabalha na fronteira com a antropologia, realizando estudos teóricos e pesquisas de campo junto a povos indígenas, resultando em processos colaborativos de criação a partir de cosmologias e narrativas ameríndias. O estudo público Mitos de Morte e Renascimento [Povos Ameríndios], dá origem a VEM VAI – O Caminho dos Mortos (2006/09), de Newton Moreno em processo colaborativo com a Cia. livre, a partir de narrativas dos povos Araweté, Juruna, Yudjá, Jívaro, Marubo, Kaxinawá, Tupinambá, Yekuana e Wayãpi. A Antropofagia vira tema e procedimento de trabalho, gerando uma linguagem épica brasileira a partir da releitura do conceito de Perspectivismo Ameríndio. Em 2009 o Estudo Público Teatro e Rito, dá origem à Raptada pelo Raio (2009/11), livre recriação de mitos do povo Marubo. O estudo Público Do mato ao Asfalto origina os espetáculos Cia.Livre Canta Kaná Kawã (2014) e Maria que virou Jonas (2015). Em 2017 inicia o projeto Revoltare, com 5 leituras encenadas de textos de Brecht, além da estreia de Revoltar, de Dione Carlos (2018). Em 2019, a partir de pesquisa de campo junto ao povo Guarani M’Bya, cria o espetáculo Os Um e Os Outros, sobre a luta de resistência dos povos indígenas contra as ameaças do atual governo à política indigenista e do meio ambiente. 

Livre recriação da Cia. Livre de “Os Horácios e Os Curiácios”, de Bertolt Brecht
Atores-Jogadores  Adriano Salhab, Cibele Forjaz, Fernanda Haucke, Fredy Allan, Gisele Calazans, Lu Favoreto, Lucia Romano, Marcos Damigo, Roberto Alencar e Vanessa Medeiros
Coro do povo Guarani M’Bya Jerá Poty Miri, Karai Germano, Karai Negão, Karai Tiago, Poty Priscila e Tata Ricardo
Composições de trilha original, direção musical e arranjos Adriano Salhab e Guilherme Calzavara
Músicos em cena Adriano Salhab, Gabriel Máximo e Ivan Garro
Desenho de som e sonoplastia Ivan Garro
Direção de arte Cla Mor e Marília de Oliveira Cavalheiro
Arquitetura Cênica e Objetos Marília de Oliveira Cavalheiro
Figurino Valentina Soares
Vídeo (criação e operação) Cla Mor 
Vídeo Mapping Fábio Riff e Mariana Caldas | Vapor 324
Luz Cibele Forjaz e Matheus Brant
Projeto Gráfico Julia Valiengo
Assistência de Direção Gabriel Máximo
Preparação e Direção Vocal Lucia Gayotto
Preparação Corporal e Direção de Movimento Lu Favoreto
Produção Iza Marie Miceli e Bia Fonseca | Nós 2 Produtoras Associadas
Direção Geral e Encenação Cibele Forjaz
Realização Cia.Livre

Classificação indicativa livre
Duração do espetáculo 1h30

*Este espetáculo tem legenda em inglês.

Após a transmissão do espetáculo haverá um bate-papo do grupo com o público mediado por alunos da Escola Livre de Teatro de Santo André. Uma iniciativa do Brasil Cena Aberta em parceria com escolas de formação artística para integrar estudantes ao programa profissional e oxigenar as reflexões com novas ideias.

Ingressos entre R$0,00 e R$40,00. A renda será integralmente revertida aos/as/es artistas e grupos. Escolha com quanto quer colaborar!

*os ingressos de R$0,00 (gratuitos) estarão sujeitos à disponibilidade de lugares, respeitando a ordem de entrada na sala de espera do zoom que abrirá sempre 15 minutos antes do início da transmissão.

Escolha o valor que deseja pagar:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Receba nossa novidades!

* indicates required
/ ( mm / dd )