Teatro

03.12

15h às 17h

Manifesto Transpofágico

(Renata Carvalho)

Teatro

03.12

15h às 17h

Manifesto Transpofágico

(Renata Carvalho)

Manifesto Transpofágico é a transpofagia da transpologia de uma transpóloga. “Hoje eu resolvi me vestir com a minha própria pele. O meu corpo travesti”. Renata “se veste” com seu próprio corpo para narrar a historicidade da sua corporeidade. Renata se alimenta da sua “transcestralidade”. Come-a, digere-a. Uma transpofagia.
O Corpo Travesti como um experimento, uma cobaia. Um manifesto de um Corpo Travesti. Letreiro pisca TRAVESTI. TRAVESTI. TRAVESTI.

Renata Carvalho
Renata Carvalho é atriz, diretora, dramaturga e transpológa brasileira. Graduanda em Ciências Sociais. Desenvolve uma pesquisa do corpo travesti/trans nas artes. No ano de 2007 Renata se torna Agente de Prevenção Voluntária pela Secretaria Municipal de Saúde de Santos em ISTs, HIV/AIDS, Tuberculose e Hepatites e passa a trabalhar com travestis e mulheres trans na prostituição. Por 11 anos nessa função começa a estudar sobre corpos transvestigêneres (trans e travestis) e se percebe como uma mulher trans.
No teatro passou a não conseguir mais papéis masculinos, devido a sua minha feminilidade fora dos palcos e em 2002 fundou a Cia. Ohm de Teatro, passou a dirigir e o seu processo de transição/percebimento inicia-se em 2007.
Em 2016, estreou no FILO (Festival Internacional de Londrina) o solo “O evangelho segundo Jesus, Rainha do céu” de Jo Clifford, espetáculo que interpreta Jesus de Nazaré. A obra já sofreu cinco censuras desde a sua estreia – duas judiciais (Jundiaí e Salvador) e três por motivos políticos-religiosos (Rio de Janeiro, Garanhuns e Recife) – em um país onde a censura é proibida desde a redemocratização em 1985. As censuras, as ameaças de morte e espancamentos, as violações, os ataques, não eram feitos para a pessoa Renata. Não era ela o alvo e sim o seu corpo travesti. É a travesti que interpreta Jesus, independente de quem seja ela. Em 2017 fundou o MONART (Movimento Nacional de Artistas Trans) e criou o “Manifesto Representatividade Trans”, que visa que artistas trans interpretem personagens e que sejam incluídes corpos transvestigêneres nos espaços de criação de arte.

Dramaturgia e atuação Renata Carvalho
Direção Luiz Fernando Marques (Lubi)
Luz Wagner Antônio
Vídeo Arte Cecília Lucchesi
Operação e adaptação de luz Juliana Augusta
Cenotécnico Ciro Schu
Produção Corpo Rastreado
Co-produção Risco Festival, MITsp e Corpo Rastreado

Classificação indicativa 18 anos
Duração do espetáculo 60 min

*Este espetáculo tem legenda em inglês.

Após a transmissão do espetáculo haverá um bate-papo da artista com o público mediado por alunos da Escola Livre de Teatro de Santo André. Uma iniciativa do Brasil Cena Aberta em parceria com escolas de formação artística para integrar estudantes ao programa profissional e oxigenar as reflexões com novas ideias.

Ingressos entre R$0,00 e R$40,00. A renda será integralmente revertida aos/as/es artistas e grupos. Escolha com quanto quer colaborar!

*os ingressos de R$0,00 (gratuitos) estarão sujeitos à disponibilidade de lugares, respeitando a ordem de entrada na sala de espera do zoom que abrirá sempre 15 minutos antes do início da transmissão.

Escolha o valor que deseja pagar:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Receba nossa novidades!

* indicates required
/ ( mm / dd )