• Desvios tático-estratégicos para sobreviver à vida urbana
  • Paradoxo

Grupo Três em Cena

Escada é um objeto arquitetônico projetado para nos permitir subir e descer entre planos, certo? Para xs artistas do Grupo Três em Cena de Goiânia, as escadarias das cidades são mais que isso, elas se tornam o palco onde se faz dança. Com um repertório de movimento advindo das danças urbanas, o corpo se funde ao espaço público através das escadas com deslizamentos, encaixes e um gestual específico para se movimentar com as escadas.

Grupo Três em Cena
O Grupo Três em Cena surgiu em 2014 e tem como base conceitual o suporte técnico das danças urbanas e o interesse investigativo em possibilidades de criação para cena contemporânea. Ao mesmo tempo, o formato do grupo, de três pessoas, desafia a elaboração de trabalhos que lidam com o limite de pessoas em cena. O Grupo já realizou apresentações em diversos festivais, com o Desvios tático-estratégicos para sobreviver à vida urbana tais como: Visões Urbanas – 2018 São Paulo, Mercado das Coisas – 2018 Goiânia, Festival Internacional de Artes Cênicas – 2018, Circulação pelo estado de Goiás em parceria com SESC e Prefeituras de Goianésia, Jatai e Anápolis – 2018, 14° Edição do ABCDança – 2019 São Paulo.

Coreógrafos-intérpretes Taynnã Oliveira, Johnathans Paiva (bboy Black) e Rafael Guarato
Dramaturgia Margarida Amaral
Direção Rafael Guarato
Produção Juliane Borges

Classificação indicativa livre
Duração do espetáculo 31 minutos

Após a transmissão do espetáculo haverá um bate-papo do grupo com o público mediado por Carolina Gasquez, Clara de Clara e Fernanda Xavier, alunas do Curso de Graduação em Dança do Instituto de Artes da Unicamp. Uma iniciativa do Brasil Cena Aberta em parceria com escolas de formação artística para integrar estudantes ao programa profissional e oxigenar as reflexões com novas ideias.

Zanzibar Vicentino

Zanzibar Vicentino volta aos palcos com um trabalho de dança bem peculiar e com o objetivo de levar uma visão de mudança em relação à política social e suas contradições. No que se refere à constituição dos direitos humanos, verdadeiro PARADOXO SOCIAL no Brasil, o artista usa sua arte para falar de dança política e denuncia o sistema PARADOXO nas políticas públicas do país.  No espetáculo,  a linguagem corporal se encontra com as diversidades culturais da capoeira, das danças urbanas, da dança contemporânea e de diferentes dramaturgias.

Zanzibar Vicentino
Zanzibar Vicentino inicia seus primeiros passos na dança no ano de 2000, aos 14 anos, como bolsista na Escola de Dança PAULO AZEVEDO na cidade de Macaé (RJ), onde foi aluno Revelação em 2002. Participou de todos os festivais internos da escola, de 2000 a 2005. O artista segue seu primeiro trabalho solo carregando um importante currículo internacional tendo atuado em quatro continentes, América, África, Oceania e Europa. Com residência na cidade de Sabadell, Catalunia, Espanha, atuou em mais de 20 países da Europa entre 2006 e 2011; contribuiu para a criação de 2 espetáculos no exterior “Febre” e “Medo” como intérprete e criador na extinta Membros Cia de Dança, onde foi aluno até chegar ser um bailarino profissional.

 

Direção Geral Zanzibar Luis Vicentino
Criação coreográfica e direção Artística Zanzibar Vicentino
Direção de Ensaio Zanzibar Vicentino
Tema Política Social
Intérprete Zanzibar Vicentino
Apoio de Criação Giovanna Lima Studio
Colaborador na pesquisa da poética Giovanna Lima, Aline Corrêa, Luciano
Fisioterapeuta Giovanna Lima
Trilha sonora exclusiva Zanzibar & Sávio
Musica Cartola – Preciso Me Encontrar – Over Here – Appleblim & Peverelist Appleblim and Peverelist – Circling – Titãs – O pulso
Foto Ana Carolina Paiva
Filmagem Ana Carolina Paiva
Coordenação de Produção Giovanna Lima
Direção de pesquisa Zanzibar Vicentino

Classificação indicativa livre
Duração do espetáculo 
16 minutos

Após a transmissão do espetáculo haverá um bate-papo o artista com o público mediado por Fernanda Xavier e Sarah Elise, alunas do Curso de Graduação em Dança do Instituto de Artes da Unicamp. Uma iniciativa do Brasil Cena Aberta em parceria com escolas de formação artística para integrar estudantes ao programa profissional e oxigenar as reflexões com novas ideias.

 

Ingressos entre R$0,00 e R$40,00. A renda será integralmente revertida aos/as/es artistas e grupos. Escolha com quanto quer colaborar!

*os ingressos de R$0,00 (gratuitos) estarão sujeitos à disponibilidade de lugares, respeitando a ordem de entrada na sala de espera do zoom que abrirá sempre 15 minutos antes do início da transmissão.

Escolha o valor que deseja pagar:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Receba nossa novidades!

* indicates required
/ ( mm / dd )